Marca e literatura

Por que as marcas se associam a filmes, peças de teatro e exposições, mas nunca a obras literárias?

A pergunta parece óbvia, mas foi preciso que um publicitário de peso virasse escritor para que fosse finalmente formulada. Se há publicidade, patrocínio e envolvimento de marcas no cinema, no teatro e em praticamente todas as manifestações culturais, por que justamente na literatura, que é a maior fornecedora de narrativas ficcionais e insumo de várias outras artes, isso nunca é cogitado? 

Quem formulou a questão acima foi o publicitário e escritor PJ Pereira, que sugeriu o painel Marca & Literatura à organização do Rio2C e mediou o debate entre o escritor Marcelo Rubens Paiva e a diretora de marketing e vendas da HarperCollins Brasil, Daniela Kfuri, no último dia 25.  

A situação descrita e questionada por Pereira é ainda mais paradoxal quando lembramos que o mercado editorial – recordemos a situação das grandes redes de livraria – passa por uma de suas maiores crises. De um lado, é o segmento da cultura que mais precisa de apoio neste momento. De outro, demonstra resistência com a presença de logomarcas em suas páginas, capas e projetos, especialmente na área de ficção. Tanto é verdade que foi difícil achar um autor expressivo com alguma experiência com publicidade para compor a mesa e o debate provocado e mediado por Pereira.   

Mas a escolha de Paiva vestiu como uma luva. O autor de Feliz ano velho não tinha apenas uma, mas várias histórias para contar a esse respeito, e aceitou a provocação de Pereira para tentar juntar marcas e literatura, como ocorre com praticamente todas as outras indústrias da área de cultura e entretenimento. 
Paiva já tem feito isso, individualmente, como autor. O escritor já associou seu nome e sua escrita a marcas como Copenhagem, Facebook e Gol – escrevendo ficção sob encomenda para campanhas específicas. Ele lembra que publicidade e literatura “namoram” desde o “início dos tempos” e que vários autores trabalharam com redação publicitária para pagar suas contas, mesmo aqui no Brasil. 

“Literatura e a publicidade têm por base uma coisa só: contar histórias. Não adianta surgirem novas plataformas tecnológicas, mídias sociais e aplicativos se não tivermos o insumo básico que são as narrativas. São elas que atraem as pessoas, desde sempre. As histórias. E isso é, fundamentalmente, literatura”, diz Paiva. “A ideia de aproximar esses dois setores de modo consistente e programático é bem-vinda e totalmente possível. Por que o ponto de convergência já existe há muito tempo: a narrativa.” 

O publicitário e escritor PJ Pereira confirma presença no Rio2C 2019

Pioneiro no marketing digital no Brasil, ele é o único brasileiro a figurar na lista '100 People Who Make Advertising Great'. Em 2017, PJ foi o presidente do júri de Entertainment no Festival Internacional de Criatividade de Cannes.

PJ Pereira, pioneiro no marketing digital no Brasil, é um dos keynotes do Rio2C – Rio Creative Conference 2019. Um dos criativos mais influentes e respeitados do mundo, ele é o único brasileiro a figurar na lista “100 People Who Make Advertising Great” da Associação Americana de Agências de Publicidade. Em 2017, PJ foi o presidente do júri de Entertainment no Festival Internacional de Criatividade de Cannes.

Um dos fundadores da AgênciaClick, a primeira com foco na internet do Brasil, PJ tem um Emmy e quatro Grand Prix do Festival de Cannes no currículo. Em 2005, ele se mudou para os Estados Unidos para dirigir a área de criação da AKQA, uma das principais agências digitais do mundo, antes de cofundar a Pereira & O’Dell, junto com o Grupo ABC, de Nizan Guanaes.

Destaque no mercado internacional ao reunir propaganda, entretenimento e tecnologia, a Pereira & O’Dell foi a criadora da premiada série "The Inside Experience", cujo filme "The Beauty Inside", para Intel e Toshiba, faturou três Grand Prix no Festival de Cannes de 2013, nas categorias Cyber, Branded Content&Entertainment e Film. O projeto recebeu ainda um Daytime Emmy Award. A agência também participou de um projeto selecionado para o Sundance Film Festival, com "Lo and Behold, Reveries of the Connected World".

Além da publicidade, o brasileiro PJ Pereira também é um escritor. Sua trilogia de livros "Deuses de Dois Mundos" já foi publicada em cinco outros países. No ano passado, ele lançou seu quarto romance: "A mãe, a filha e o espírito da santa".

patrocinador

fique conectado