Summit: Creative shop, das duplas para o coletivo

Na abertura do Summit Rio2C Content & Brands by Meio&Mensagem, Fernanda Guimarães, Ian Black, Monique e Mauro Cavalletti, do Facebook, como mediador, integraram um time de criativos expoentes do mercado publicitário, e contaram suas dinâmicas de trabalho no dia a dia de uma agência e como é a relação da marca com as pessoas nas plataformas digitais através dos hackathons.

Pra quem não sabe o que significa Hackathon é o seguinte: uma rodada de ideias com profissionais do meio para encontrar soluções digitais acessíveis. Segundo Fernanda, da Mutato, a ideia faz parte de uma engrenagem, e precisam ser encontrados pontos de contato entre as partes envolvidas, desde a área comercial do Facebook até o resultado do negócio, e para isso a sua dica é “cheque todos os pontos de contato antes”. Os pontos de vista de cada ponto desses é fundamental para o sucesso de ideias que quebrem protocolo e ainda assim compreendam a visão do público.

Foi o caso do comercial feito com a documentarista Estella Renner que teve que adaptar todo o projeto à realidade que era diferente do que se imaginava. O conteúdo do “Repense o elogio” que tem como causa o empoderamento feminino desconstrói comentários comumente feitos às mulheres e homens. No caso feminino ligado a beleza, delicadeza e no âmbito masculino focado em virtudes como inteligência e coragem.

Fernanda lembrou que nem sempre é fácil gerir um time de criativos, principalmente jovens, numa relação horizontal. É preciso lidar com a frustração todo o tempo, porque o retorno é bem rápido. “A sua ideia pode fazer muito sentido ou sucesso e geralmente se faz sentido, não faz sucesso”, citando uma frase que apesar de não gostar usá-la, disse ser certeira. O conteúdo digital é cocriação, menos competição e mais colaboração.

Monique Araújo, da agência Africa, mescla no dia a dia da agência o formato padrão com a dinâmica do hackathon. Em seu case da Heinz, criou uma caixinha de post para que o público pudesse comer seus posts. Seguia na campanha a hashtag #ninguémfazmelhor.

A New Vegas, representada pelo sócio-fundador Ian, demonstra como a publicidade é composta atualmente por pessoas engajadas e muitas vezes sem formação na área, como é seu caso (que não tem formação alguma). “As marcas precisam se comunicar com as pessoas assim com as pessoas se comunicam com as outras.” Sua criação para L’Occitane com propostas da ‘Radio a dois’ e ‘Cartas para ela’ que tinha a participação de um influenciador, ensinava a escrever poesias e era norteada por princípios de diversidade e inclusão, respeitando o cliente e evitando mensagens ou conteúdos tóxicos como o machismo.

GARANTA SEU INGRESSO!

De 3 a 8 de abril de 2018 na Cidade das Artes, Rio de Janeiro

COMPRAR INGRESSO